top of page
Tez_1_c_edited_edited.jpg

A NATUREZA DO TEMPO

15

A NATUREZA DO TEMPO
JAMES ROWLAND
MAIO| 2024

O QUE SAIU NA MÍDIA

Nada é perfeito e nada passa ileso à passagem do tempo. James Rowland retrata a sua percepção sobre esta máxima e a sua relação com a natureza, através da exposição  ‘A  natureza  do  tempo’.

 

Sua pesquisa artística nasce de sua conexão com a natureza, impactado pela observação dos ciclos de degradação e nascimento da Mata Atlântica de forma similar à magnitude da sensação, que ele descreve ter sentido em sua infância, perante  às  pedras  neolíticas  da  Escócia. 

 

Ao pé da Serra da Bocaina, onde James mora atualmente, ele observa as formas esculpidas pela passagem do tempo entre rio e montanha, pedra e terra, marcadas ao longo de milênios de erosão, e pondera sobre a atuação humana em um lugar que, até então intocado, tornou-se rota de transporte de ouro e café, até a estrada que  é  hoje.

 

Partindo do princípio que existe uma conexão ancestral com a natureza, berço de toda crença humana, que se perdeu em grande parte nas sociedades contemporâneas, James acredita que poucos são aqueles que, ao se depararem com a presença da natureza, não sintam uma imediata reconexão acompanhada de uma sensação de  reverência.  É  este  sentimento  que  o  artista  busca  evocar  no  espectador.

 

As formas biomórficas apresentadas em suas obras retratam a ação do tempo e os ciclos naturais em madeiras nativas, representando as cicatrizes, desgastes, fissuras e relevos que surgem naturalmente com o passar dos anos. A madeira utilizada é escolhida de forma intuitiva, ou pelo impulso de se criar com sobras, buscando realçar  a  beleza  e  as  cores  naturais  dos  materiais  ao  compor  com  metais.

 

A mostra retrata o que é belo na natureza, independentemente do homem, esculpida pelo tempo e em constante modificação, que, apesar da distância que existe dos dias  atuais,  ainda  acordam  uma  sensação  indescritível.

bottom of page